O telescópio Hubble bateu mais um recorde. Conseguiu captar a luz da galáxia GN-z11 com a distância de 13,4 mil milhões de anos: é a imagem da galáxia mais distante observada até agora. O recorde anterior apontava para 13,2 mil milhões de anos. A singularidade do fenómeno é explicada pela Time. “Quanto mais remota é uma galáxia, mais tempo demora a luz a chegar até nós. Por isso, este sinal vem não só da galáxia mais remota mas também da mais antiga”, explica a publicação.

A descoberta desta galáxia “dá fortes provas de que outras galáxias excecionalmente brilhantes, vistas em imagens anteriores da Hubble, estão realmente a distâncias extraordinárias”, explicam os astrónomos envolvidos. Assim, podemos estar perante algumas das primeiras galáxias formadas desde todo o sempre. A GN-z11 é quase 25 vezes mais pequena do que a Via Láctea e tem apenas 1% da massa de estrelas. Devido ao atraso do tempo, é impossível saber como está a galáxia agora. Pelo menos para já.