Felipe VI anunciou que, “por enquanto”, não irá convocar novas reuniões com os diferentes grupos parlamentares para a formação de um novo governo espanhol. Num comunicado emitido esta segunda-feira, o rei explicou que a decisão foi tomada para que as “formações possam levar a cabo as medidas que considerem adequadas de acordo com o previsto no Artigo 99 da Constituição”, cita o El País.

Caso o candidato a primeiro-ministro não seja aprovado pelo congresso numa segunda volta (com maioria simples), o Artigo 99 prevê que deverão ser consideradas outras propostas. Felipe VI pediu ao presidente do congresso, Patxi López, que transmitisse a decisão aos vários grupos políticos.