Um antigo chefe de defesa da Nigéria é acusado de roubar 20 milhões de dólares (18.164.500 euros) à força aérea e de ter comprado uma mansão. O já reformado Chefe Marshall Alex Badeh nega as 10 acusações de fraude e lavagem de dinheiro, avança a BBC.

Foi encontrado mais de um milhão de dólares numa das suas casas, mas suspeita-se que tenha desviado 20 milhões de dólares. O antigo chefe da defesa é acusado de ter usado os fundos para comprar uma mansão na capital, Abuja, bem como várias outras propriedades.

Badeh foi nomeado chefe de defesa há dois anos, altura em que as forças armadas eram alvo de críticas em relação à luta contra o Boko Haram, e é o último de vários oficiais acusados de roubar milhões de dólares às forças armadas. A corrupção na defesa é um problema grave que a Nigéria enfrenta, numa altura em que luta para travar o grupo terrorista.

Durante o mandato do Presidente Goodluck Jonathan, as tropas da linha da frente de combate queixavam-se de que os equipamentos eram escassos e a disciplina dentro do exército diminuta, já que muitos soldados recusavam-se a acatar ordens.

Uma investigação em curso aponta que dois mil milhões de dólares que deviam financiar a luta contra o Boko Haram desapareceram.

Sambo Dasuki, antigo conselheiro de segurança nacional, foi condenado em dezembro pelo desaparecimento de 68 milhões de dólares. As acusações, que Dasuki negou, incluem a adjudicação de contratos fantasma para comprar helicópteros, aviões de combate e munições.

A agência anticorrupção está a investigar outros doze oficiais sénior do exército nigeriano suspeitos de estar envolvidos no escândalo das armas.

O atual Presidente, Muhammadu Buhari, prometeu desmantelar o Boko Haram e a corrupção.