São Petersburgo, Rússia, 08 mar (Lusa) — O treinador do Zenit, André Villas-Boas, disse esta terça-feira esperar um Benfica humilde na quarta-feira em São Petersburgo, no desafio que decide um lugar nos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol.

“A vitória [do Benfica] em Alvalade traz sempre um extra de confiança e ainda mais por ser líder [do campeonato]. Pelo líder que é o Rui Vitória não vamos sentir um Benfica crescido e arrogante, mas normal, com vontade de disputar o jogo. E humildade para tentar um lugar nos ‘quartos’. É a pauta do treinador que se reflete nos jogadores”, considerou.

Depois da derrota 1-0 na Luz, a 16 de fevereiro, agora o Zenit está obrigado a marcar, algo que ainda não conseguiu fazer nos 90 minutos dos três jogos oficiais realizados após o regresso da pausa de inverno, de quase três meses.

“Não vamos estar na mesma forma [de Lisboa]. São circunstâncias diferentes. Finalmente temos jogos nas pernas. Estamos bem fisicamente, com ritmo competitivo. Jogamos em casa em ambiente difícil. Os adeptos podem fazer a diferença. Contamos com tudo isso, além da organização, para nos levar aos quartos de final”, vincou.

Villas-Boas assume que “não é fácil explicar o problema” da falta de eficácia da sua equipa, recordando que o Zenit “continua a ser o melhor ataque do campeonato” russo.

“Neste momento tem falta de golo. Há momentos melhores e piores para uma equipa. Temos criado o máximo número de situações possível, mas infelizmente temos falhado muitas ocasiões. Temos confiança de que quarta-feira voltaremos a criar. É preciso é concretizá-las”, reforçou.

O sub-rendimento do ex-portista Hulk foi reconhecido e ajuda a explicar a ausência de golos, mas o treinador a garante que o brasileiro “está cheio de vontade de jogar, estar nos ‘quartos’ como toda a gente”.

“Ele já faz parte da história do Zenit. Espera-se sempre mais dos [jogadores] mais importantes das equipas. Há muita expectativa, mas a equipa vem primeiro. Está lá para ajudá-lo. Criar situações para que se encontre e volte ao rendimento. É dos melhores marcadores do campeonato e um dos melhores da ‘champions’. Estamos tranquilos. Que regresse ao seu melhor momento. Estamos satisfeitos com o seu rendimento”, reforçou.

O Zenit não pode contar com os castigados Criscito e Javi Garcia, enquanto o Benfica não terá André Almeida e Jardel, limitações que entende como normais, escusando-se a especular quanto às soluções preconizadas por Rui Vitória.

“Ambas as equipas vão ter de fazer algumas adaptações a jogadores que normalmente são titulares. A importância do jogo vai fazer esquecer tudo isso. Todos querem participar. Estamos motivados e ambos querem fazer história. O Benfica está mais habituado aos ‘quartos’ e para o Zenit seria a primeira vez. Vamos dar tudo”, prometeu.

Villas-Boas recorda que “não é fácil encontrar espaços” na defesa do Benfica, mas anuncia um Zenit a tentar atacar “de todas as formas e feitios”.

“Queremos ganhar. Atacar por fora, por dentro e em profundidade. Criar o maior número de situações para a vitória. Mas não podemos só fazer só jogo ao ataque, pois devemos ter cuidado com um dos melhores ataques da Europa”, concluiu.