A Global Media, proprietária do Diário de Notícias, Jornal de Notícias e TSF, entre outros, vai concentrar as duas redações nas Torres de Lisboa — concretamente, na torre contígua à atual sede da Galp –, na freguesia de S. Domingos de Benfica.

Num comunicado interno, o grupo Global Media adiantou esta terça-feira que “foram agora formalmente confirmadas as condições necessárias a esta concentração”, anunciando que vão passar para a nova localização “todas as atividades que operam atualmente quer no edifício do Diário de Notícias, na avenida da Liberdade, quer no edifício da TSF, localizado na Matinha”.

Em declarações à Lusa, o administrador financeiro da Global Media, Pedro Coimbra, disse que o grupo conta que o processo de mudança para as novas instalações esteja concluído “antes do fim do ano”.

“Estamos muito satisfeitos com a nova localização, é uma oportunidade de centralizar as áreas”, aumentando a “capacidade de interação em equipas”, afirmou o administrador financeiro, salientando que esta mudança “permitirá construir o futuro do grupo”.

O novo espaço da Global Media conta com uma área de cinco mil metros quadrados, distribuídos por seis pisos. “Podemos ter o grupo todo junto e abordar o mercado como um todo”, acrescentou o administrador financeiro.

O processo de venda do edifício do Diário de Notícias na avenida da Liberdade e a nova localização levou cerca de um ano e contou com o apoio da especialista em imobiliária CBRE e com a assessoria jurídica da SLCM. O processo de venda do edifício histórico do DN também será concluído até final do ano.

De acordo com informações avançadas em fevereiro por fonte da Fidelidade, o edifício do século XIX inserido na baixa pombalina vai dar lugar a residências de luxo. A primeira hipótese, a de um hotel de luxo com 94 quartos, caiu por terra

Já a concretização do negócio de venda do edifício da Avenida da Liberdade, cujo valor está estimado entre 20 e 25 milhões de euros, está pendente de autorizações legais a cargo da Direção-Geral do Património Cultural. Trata-se de um edifício prémio Valmor, que em 2015 completou 75 anos, já classificado como Imóvel de Interesse Público. Quaisquer alterações, por mais pequenas que sejam, exigem autorização específica, pelo que a fachada deverá permanecer inalterada.

A venda do edifício do DN em Lisboa, bem como a do JN no Porto, eram duas das medidas anunciadas pela nova administração do grupo Global Media, que tomou posse em abril de 2014. O encaixe financeiro de 20 a 25 milhões — além de outros 10 milhões, considerando a venda da sede do JN no Porto — permite ao grupo dar um grande passo no equilíbrio das compras.