Marcelo Odebrecht, líder da maior empresa de construção civil do Brasil, foi condenado por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa no âmbito do processo Lava Jato. O antigo empreiteiro foi condenado a uma pena de 19 anos e 4 meses de prisão efetiva. Ficou provado que apenas num dos pagamentos a funcionários da Petrobras terá pago cerca de 35 milhões de dólares em subornos.

Ainda no âmbito da operação Lava Jato, foram ainda condenados Márcio Faria da Silva, Rogério Santos de Araújo, César Ramos Rocha e Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, que exerciam cargos de administração na Odebrecht, e os ex-funcionários da Petrobras Renato Duque, Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco e Alberto Youssef, que ajudava à lavagem de dinheiro em dólares.

Marcelo Odebrecht, Márcio Faria da Silva e Rogério Santos de Araújo vão continuar presos – já estão detidos desde 2015. “Considerando a gravidade em concreto dos crimes em questão e que os condenados estavam envolvido na prática habitual, sistemática e profissional de crimes contra a Petrobras e de lavagem de dinheiro, fica mantida a prisão cautelar vigente contra Marcelo Bahia Odebrecht, Marcelo Bahia Odebrecht, Márcio Faria da Silva e Rogério Santos de Araújo”, determinou o juiz Sérgio Moro, segundo noticia o Estadão.