Para o filme “O Piano” foram feitos três instrumentos. Segundo o site The Dominion Post um está num museu, outro foi vendido e o que restava foi agora leiloado numa única licitação de mil dólares neozelandeses (613 euros) no Trade Me.

Mas se o novo dono, que permanece anónimo, conta em tocar alguma das músicas do filme, engana-se: o piano manufaturado pela John Broadwood & Sons não funciona. O instrumento que serviu como base para as cenas mais marcantes do filme serve agora como decoração.

O piano estava em exibição ao público num museu de adereços de filmes na Nova Zelândia Wellingtons Westside Studios. Mas como este fechou, tudo o que lá estava dentro foi vendido em leilão. E o piano não foi exceção. O responsável pelo museu, Robert Baldock, revela no site da leiloeira que o piano lhe tinha sido dado pela The Film Production Co, Pacific Renaissance Pictures depois de o filme ter estreado em 1993.

[veja a famosa cena na praia do filme “O Piano”]

Quando nos lembramos do filme “O Piano”, escrito e realizado por Jane Campion, rapidamente recordamos as fortes cenas de paixão entre a personagem muda interpretada por Holy Hunter (Ada McGrath) e por Harvey Keitel (George Baines). E no centro desta história está um elemento incontornável: um piano.

Ada MacGrath parte da Escócia com a sua filha e o seu adorado piano a caminho da Nova Zelândia para celebrar um casamento combinado. À chegada, o seu noivo Alisdair Stewart (Sam Neill) não quer transportar o instrumento para casa. E George Baines vê isto como uma oportunidade para ficar a conhecer melhor a mulher que conheceu na praia. O piano é o resgate, que Ada MacGrath vai tentar recuperar em troca de aulas e de favores sexuais.

Ada e George vivem um romance intenso e proibido. A primeira paixão desta mulher é também uma das poucas formas que tem de se exprimir: tocar piano. E será como professora de música que Ada descobre o verdadeiro amor.

Nesta história dramática a música acompanha a vida das personagens com uma banda sonora memorável composta por Michael Nyman.

O filme foi aclamado pela crítica e ganhou vários prémios, incluindo três Óscares: melhor argumento original (para Jane Campion), Melhor Atriz (Holly Hunter) e Melhor Atriz Secundária, Anna Paquin, com apenas 11 anos.

[recorde o trailer do filme aqui]