As forças especiais norte-americanas capturaram Sleiman Daoud al-Afari, especialista em armas químicas e biológicas, que trabalhava para o Estado Islâmico. A captura foi feita no final de fevereiro na cidade de Badoosh, noroeste da fortaleza da ISIS em Mosul.

Segundo um oficial iraquiano, Afari era um engenheiro industrial militar do tempo do antigo ditador Saddam Hussein que agora fazia parte do Estado Islâmico. Calcula-se que o homem tenha perto de 50 anos.

Hisham al-Hashimi, um autor e académico iraquiano, afirmou ao jornal britânico The Guardian sobre Afari: “Ele é um técnico muito experiente no projeto das armas químicas. É uma figura importante dentro da organização”.

As forças norte-americanas e o Iraque reivindicam esta captura como o primeiro grande sucesso nesta nova estratégia, que consiste em enviar uma unidade militar para o Iraque dedicada à captura e eliminação dos líderes do Estado Islâmico.

Os Estados Unidos da América têm atingido fortemente as infraestruturas das armas químicas nos últimos dois meses. Afari está neste momento preso num centro de detenção temporário norte-americano, no Iraque, enquanto espera transferência para instalações iraquianas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR