A primeira-dama da Turquia, Emine Erdoğan, afirmou que o harém da era do Império Otomano era uma “instituição educacional que preparava as mulheres para a vida.”

As declarações da mulher do presidente turco Recep Erdoğan foram proferidas durante uma conferência sobre os sultões otomanos na passada quarta-feira em Ankara. O comentário foi feito um dia após o presidente turco ter afirmado que uma mulher era “acima de tudo uma mãe”, numa declaração feita a propósito do Dia Internacional da Mulher.

Emine Erdoğan afirmou quem durante o Império Otomano, as múltiplas esposas dos haréns eram educadas e alimentadas pelo sultão que governava o Império e pelos seus criados. A primeira-dama afirmou que estas mulheres podem ser consideradas como “uma inspiração”, segundo a BBC. A mulher do presidente sublinhou que nem todas as mulheres eram utilizadas para fins sexuais.

O Império Otomano, que foi criado no início do século XIV e desapareceu formalmente em 1922, com o advento da República fundada por Ataturk, era governado por um sultão que mantinha o seu harém no Palácio de Topkapi, em Istambul.

No Palácio viviam as mulheres do sultão, bem como algumas mulheres da sua família e ainda concubinas. Os homens que serviam no harém eram eunucos. O Palácio de Topkapi é agora um museu.

Topkapi

Palácio de Topkapi / Getty