Os preços do petróleo não deverão regressar aos mínimos fixados em janeiro, na casa dos 27 dólares por barril. O prognóstico da Agência Internacional da Energia (AIE) surge numa altura em que a cotação supera os 40 dólares, já registando, portanto, uma recuperação de 46% desde a altura em que esses mínimos foram fixados.

Num relatório divulgado esta sexta-feira, a AIE defende que o colapso dos preços nos últimos anos já está a ter como consequência uma quebra da produção por parte dos países que não pertencem à Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP). Excluindo OPEP, a AIE estima que a produção irá cair em 750 mil barris por dia, em média, ao longo deste ano de 2016. O novo cálculo aponta para uma redução maior do que a AIE previu no mês passado (600 mil barris).

A contribuir para a queda da produção estarão, também, as perturbações no fornecimento de petróleo em países como o Iraque e a Nigéria e, ainda, no Irão – país da OPEP que viu levantadas as sanções económicas mas cuja produção estará a acelerar mais devagar do que se previa.

Petróleo não voltará aos 27 dólares de janeiro

CO1 Comdty (Generic 1st 'CO' Fut 2016-03-11 09-19-30

A cotação do barril de petróleo Brent, negociado em Londres, já recupera 46% desde os mínimos fixados em janeiro.

“Há sinais de que os preços já poderão ter tocado no fundo“, escreve a agência internacional num relatório citado pela Bloomberg. Esse fundo terá sido a cotação na casa dos 27 dólares que se verificou em janeiro – na altura, um mínimo de 12 anos.

Os preços do petróleo têm registado alguma volatilidade nos últimos dias. Na sessão de hoje, a cotação está a subir 1,5% em Londres, para 40,66 dólares. Já ontem, o preço caiu 2,5% com notícias de que poderá não acontecer a reunião entre a OPEP e outros países que não pertencem ao cartel, para debater um eventual acordo para cortar a produção.

A recuperação dos preços do petróleo nas últimas semanas ajuda a explicar porque é que os preços dos combustíveis também se têm afastado dos mínimos do ano. Além disso, cada litro de combustíveis passou a pagar mais 6 cêntimos (mais IVA) com as alterações que o governo fez nos impostos sobre produtos petrolíferos em antecipação à entrada em vigor do Orçamento do Estado para 2016.

Segundo o Jornal de Negócios, esta semana deverá haver mais uma subida dos combustíveis, de cerca de dois cêntimos por litro tanto no gasóleo como na gasolina. A gasolina deverá passar para um preço de referência de 1,313 euros e o gasóleo poderá escalar para os 1,08 euros (preço de referência da Direção-Geral de Energia e Geologia).