Presidente da República

Marcelo: Orçamento? “Estou noutra onda”

126

O Presidente da República remeteu uma opinião sobre o OE para a próxima semana. Por agora, não quer falar no assunto. Marcelo vai convidar o Papa Francisco para visitar Portugal em 2017.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

António Costa espera que Marcelo Rebelo de Sousa esteja sintonizado com o Governo em matérias orçamentais. Mais, o primeiro-ministro espera mesmo que essa sintonia seja rápida, porque precisa do Orçamento em vigor daqui por quinze dias. Mas por agora, uma semana depois de ter sido eleito, o Presidente da República nem quer ouvir falar do assunto: “Estou noutra onda”, respondeu quando questionado pelos jornalistas.

O assunto era incontornável, mas Marcelo prefere evitá-lo. Pelo menos para já. Uma semana depois de ter sido eleito, tem pela frente a tarefa de análise do Orçamento do Estado aprovado esta quarta-feira e quando questionado sobre os timings apertados que tem pela frente se quiser fazer a vontade ao Governo respondeu:

“Não pensei. Agora aqui estou noutra onda. Teremos oportunidade para a semana de falar nisso”, disse aos jornalistas.

O que o Presidente da República não quis deixar para mais tarde é o anúncio de que vai convidar o Papa Francisco para visitar Portugal em 2017. Marcelo Rebelo de Sousa iniciou esta quarta-feira uma visita oficial ao Vaticano e foi na Residência da Embaixada portuguesa junto à Santa Sé que confidenciou aos jornalistas que tem um convite preparado.

“Trago comigo uma carta formal em nome da República Portuguesa a convidar a Sua Santidade a visitar Portugal a propósito do centenário das aparições [de Nossa Senhora de Fátima aos pastorinhos na Cova da Iria]”, contou. O Chefe de Estado espera que na audiência formal que vai ter amanhã com o Papa, obtenha uma resposta positiva ao convite: “Espero encontrar no Papa Francisco um acolhimento a esse convite. Seria uma oportunidade para juntar um acontecimento religioso a uma projeção e a um reconhecimento pela gratidão por aquilo que significou, desde os primórdios da nacionalidade, o apoio àquele Estado independente que nascia e que teve do Papado o primeiro gesto de aceitação e de compreensão”, disse aos jornalistas.

Uma semana depois de ter sido eleito e o Presidente da República faz a primeira visita oficial. Escolheu o Vaticano e na bagagem tinha a ideia pré-definida de convidar o chefe da Igreja católica a visitar Portugal. Esta quarta-feira encontrou-se com elementos do clero na residência da embaixada portuguesa junto à Santa Sé. Quinta-feira de manhã terá uma audiência com o Papa Francisco, visitará a Capela Sistina e de seguida segue para Madrid, onde terá um encontro com o Rei de Espanha.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)