PCP

Brasil: PCP condena “operação de desestabilização” e de “cariz golpista”

1.420

O PCP apontou a crise do capitalismo como uma das causas da situação no Brasil, condenando a operação de desestabilização e de "cariz golpista" que diz estar a ser promovida.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O PCP apontou esta sexta-feira a crise do capitalismo como uma das causas da situação no Brasil, condenando a operação de desestabilização e de “cariz golpista” que diz estar a ser promovida e manifestando-se solidário com “as forças progressistas brasileiras”.

Numa nota divulgada no ‘site’ do partido, os comunistas acusam os setores “mais retrógrados e antidemocráticas” de promover uma “intensa operação de desestabilização e de cariz golpista” por forma a alcançar o que não conseguiram nas últimas eleições presidenciais.

“A ação montada contra Lula da Silva insere-se neste processo mais geral de desestabilização”, sublinha o PCP, considerando que o que sobressai nos recentes acontecimentos no Brasil não é a tentativa de combater a corrupção e um sistema político e eleitoral que a favorece, mas “uma ação protagonizada pelos setores mais retrógrados”.

O objetivo, prossegue o PCP, é “a criação das condições para a reversão dos avanços nas condições de vida do povo brasileiro alcançados nos últimos 13 anos”.

“O PCP é solidário com as forças progressistas brasileiras, com os trabalhadores e o povo brasileiro e a sua luta em defesa dos seus direitos, da democracia, da justiça e progresso social”, sublinha o partido.

O antigo Presidente do Brasil Luís Inácio Lula da Silva está a ser investigado no caso de corrupção na petrolífera estatal Petrobras, tendo sido acusado formalmente de crimes de branqueamento de dinheiro e falsificação de documentos.

Lula da Silva foi empossado quinta-feira como ministro-chefe da Casa Civil brasileira, ato anulado 40 minutos depois pela Justiça e que levou a presidência de Dilma Roussef a recorrer da decisão.

Uma decisão judicial determinou quinta-feira a suspensão cautelar da sua nomeação, mas, mais tarde, a decisão foi anulada por outra instância.

O ex-Presidente ainda não pode, porém, exercer as funções do cargo porque, entretanto, uma juíza do Rio de Janeiro aceitou outro pedido apresentado para anular a sua nomeação.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Salazar /premium

Helena Matos
1.825

Os actuais líderes não têm discurso, têm sim objectivos: manter-se ou chegar ao poder, através da popularidade e não da política. Logo precisam do passado e de Salazar para falarem de política.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)