Foi encontrado ADN de um dos responsáveis pelos atentados em Paris no apartamento de Bruxelas que foi alvo de uma rusga esta semana, segundo o jornal The Guardian. A polícia belga anunciou também, esta sexta-feira, que descobriu vestígios de impressões digitais de Salah Abdeslam.

As autoridades belgas confirmaram desde o início que o objetivo da busca ao apartamento não visava encontrar o terrorista que se encontra em fuga desde os atentados na capital francesa. Esta ação antiterrorista, que resultou na morte de um indivíduo, a detenção de dois suspeitos e quatro polícias feridos, fazia parte de uma operação maior que já fez buscas em 100 apartamentos e deteve mais de 50 pessoas.

A televisão belga RTBF diz que Salah Abdeslam poderá ser um dos suspeitos em fuga, depois da rusga ao apartamento esta semana, mas não existe confirmação das autoridades belgas. Certo é que foi encontrada uma impressão digital num dos vidros do apartamento, mas os investigadores não sabem de quando será a marca, noticiou a BFM TV. No local, terá sido encontrado também ADN num copo.

Salah Abdeslam é suspeito de ter estado envolvido nos atentados de Paris, em novembro, que vitimaram 130 pessoas. Abdeslam terá levado três bombistas suicidas até ao Estádio de França, um dos locais dos atentados, mas depois disso terá largado o colete que tinha vestido e fugido para a Bélgica. O suspeito, de 26 anos, é um cidadão francês, nascido em Bruxelas, mas descendente de uma família marroquina.