O primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, disse hoje, em Bruxelas, que a proposta de Ancara para travar o fluxo de refugiados não é para ‘regatear’, mas sim uma tentativa de chegar a acordo com a União Europeia (UE).

“Para nós, para a Turquia, a questão dos refugiados não é uma questão de regatear, mas sim de valores humanos e de valores europeus”, disse Davutoglu, à chegada para a reunião do Conselho Europeu.

O líderes dos 28 vão hoje tentar chegar a acordo com a Turquia para a gestão da crise migratória e de refugiados, apresentando ao primeiro-ministro Ahmet Davutoglu a contraproposta às exigências de Ancara.

Na quinta-feira, no primeiro dia da cimeira que decorre em Bruxelas, os 28 acordaram um “conjunto de princípios” que o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, apresenta hoje a Davutoglu, antes de os chefes de Estado e de Governo da UE voltarem a reunir-se, às 13:00 locais (12:00 de Lisboa).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se for alcançado um acordo com a Turquia, os 28 reunir-se-ão então com o chefe de Governo turco, que na cimeira celebrada a 07 de março em Bruxelas colocou em cima da mesa as exigências de Ancara para aceitar acolher migrantes que cheguem de forma irregular a solo europeu.

As reivindicações do Governo turco levantaram muitas reticências entre alguns Estados-membros e organizações internacionais, como as Nações Unidas, inclusivamente ao nível do respeito do direito internacional e direitos humanos, subsistindo também problemas em torno da oposição de Chipre à abertura de novos capítulos no processo de adesão da Turquia à UE, enquanto não for solucionado o diferendo sobre a ocupação da parte norte da ilha.