O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, afirmou este sábado que o Conservatório Nacional é uma das prioridades deste Governo e que o edifício irá sofrer obras de recuperação no próximo ano letivo.

Tiago Brandão Rodrigues falava à imprensa no Conservatório Nacional onde hoje foi ouvir um concerto de alunos de música do 2.º ciclo do ensino básico integrado na iniciativa “Os dias do Conservatório”, a decorrerem até domingo.

“A Escola de Música do Conservatório Nacional é uma das prioridades de intervenção deste Ministério da Educação”, disse Tiago Brandão Rodrigues sublinhando que foi proposta uma calendarização para que as obras se realizem naquele espaço até ao final do próximo ano letivo.

Segundo o ministro, neste momento ainda se está a pensar o projeto para depois de poderem começar as obras no Conservatório Nacional.

As verbas para a remodelação da Escola de Música do Conservatório Nacional, que funciona no Convento dos Caetanos, estão consignadas no Orçamento do Estado para 2017, referiu o governante.

“As necessidades estão neste momento a ser estudadas, a ser equacionadas, e o no Orçamento do Estado para 2017 estão consignadas verbas para fazer as obras aqui”, acrescentou.

Tiago Brandão Rodrigues não referiu qual o montante a despender nas obras, considerando que isso seria arriscado já que ainda não há projeto feito.

Também a diretora da Escola de Música do Conservatório Nacional (EMCN) disse não haver qualquer estimativa do custo das obras, uma vez que só se saberá quanto vão custar quando existir um projeto.

Sobre a calendarização das obras, o ministro disse que dependerá do projeto e que esse diálogo será feito com a escola e as entidades que farão a obra.

O concurso para o lançamento da obra também será feito no próximo ano letivo, acrescentou, sublinhando, porém, que o Conservatório Nacional “é uma prioridade” deste Executivo.

No início desta semana, a diretora da EMCN, Ana Mafalda Pernão, disse à Lusa esperar que as obras de intervenção no edifício aconteçam no final do ano letivo de 2017.

Ana Mafalda Pernão falava no final de uma reunião com a secretária de Estado adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, na qual foi discutido o programa de recuperação e requalificação da escola, que implicará uma transferência temporária das escolas de música e de dança, para outros espaços.

“Não aguentamos mais do que um inverno. Não podemos ficar aqui por muito mais tempo, sem obras profundas. Esperamos que, no final do próximo ano letivo, em 2017, se iniciem as obras”, afirmou na altura a diretora.

A reunião ocorreu na véspera do início do programa “Os dias do Conservatório”, que, até domingo, inclui concertos, debates, exibições de cinema e uma feira do livro e do disco, a realizar no edifício da escola, precisamente para mostrar o trabalho de alunos e professores e angariar fundos.