O principal suspeito dos atentados de Paris detido em Bruxelas, Salah Abdeslam, saiu este sábado de manhã do hospital Saint-Pierre, segundo as autoridades locais que não adiantaram o seu destino.

Além de Salah Abdeslam, saiu também do hospital em Bruxelas um dos seus alegados cúmplices, depois de ambos terem recebido tratamento, após terem ficado ligeiramente feridos durante a detenção na sexta-feira pela polícia belga.

O destino dos dois homens não foi revelado pelo presidente da câmara de Bruxelas, Yvan Mayeur, que divulgou a informação da alta de Salah Abdeslam na sua conta na rede social Twitter, segundo a agência France Presse.

A polícia belga deteve cinco pessoas na operação antiterrorismo desencadeada na sexta-feira Bruxelas, entre as quais Salah Abdeslam, e a família que o acolheu.

“Foram detidas cinco pessoas na sequência de três operações esta tarde”, disse Thierry Werts, porta-voz do Ministério Público belga, em conferência de imprensa, citado pela AFP.

As forças especiais da polícia belga detiveram Abdeslam, em fuga desde 13 de novembro – data dos sangrentos e mortíferos ataques terroristas em Paris — ferindo-o ligeiramente na perna durante a operação antiterrorismo na comuna de Molenbeek, em Bruxelas.