Devem os jogadores de ténis, eles e elas, receberem prémios iguais para vitórias iguais? O tema está de novo a animar os protagonistas e adeptos da modalidade, sobretudo depois das polémicas declarações do presidente da Indian Wells Tennis Garden, após a final do torneio BNP Paribas, realizado no deserto da Califórnia em que Victoria Azarenka ganhou a Serena Williams.

“Se eu fosse uma tenista, ajoelhava-me a rezava a Deus todos as noites para agradecer o nascimento de Roger Federer e de Rafael Nadal, porque têm sido eles a levar este desporto para a frente”. Raymond Moore descreveu ainda a associação feminina de ténis, a WTA, como uma organização com sorte por apanhar a boleia dos torneios masculinos.

O dirigente do torneio americano rapidamente pediu desculpa pelos comentários que, admitiu, serem de mau gosto e erróneos, mas a controvérsia estava lançada. E o tenista sérvio Novak Djokovic, que lidera o ranking mundial, lançou mais achas para a fogueira quando confrontado com o tema.

Novak Djokovic reconhece que é uma situação delicada. “As mulheres merecem respeito pelo que têm feito. A atribuição de prémios iguais foi o principal assunto do mundo do ténis nos últimos sete a oito anos. Eu vivi esse processo e conheço o poder e a energia que a WTA (Womens Tennis Assotiation) e os seus advogados investiram para alcançar prémios iguais. E aplaudo o esforço. Lutaram pelo que mereciam e conseguiram. Por outro lado, penso que o nosso mundo dos tenistas masculinos, o mundo ATP (associação que representa tenistas homens), deve lutar mais porque os números estão a mostrar que temos muito mais espetadores nos jogos disputados por homens. Penso que é uma das razões porque talvez devamos ganhar mais”.

Novak Djokovic, que venceu a final do Open BNP Paribas disputada em Indian Wells, admitiu contudo que as jogadoras enfrentam mais desafios que os colegas masculinos. “Os seus corpos são muito diferentes. Têm de passar por várias coisas que nós não temos (…). Muitas têm de fazer sacrifícios em certos períodos, prejudicando o tempo para a família e ou tomando decisões sobre o seu corpo para poderem seguir uma carreira profissional no ténis.”

As declarações de Raymond Moore também tiveram uma resposta de Serena Williams, que qualificou as palavras do líder da Indian Wells Tennis Garden, como erradas. “Muito, muito incorretas. Se contasse todas pessoas que todos os dias me dizem que só veem jogos de ténis quando sou eu ou a minha irmã a jogar, os números seriam diferentes”, afirmou a tenista americana que continua a liderar destacada o ranking das melhores jogadoras de ténis.