Salah Abdeslam, o suspeito número um dos atentados de novembro em Paris, quer ser extraditado para França “o mais depressa possível” para se “explicar” sobre o seu envolvimento nos atentados, revelou esta quinta-feira o seu advogado numa audição em Bruxelas. Salah está em prisão preventiva desde que foi detido, em Bruxelas, na semana passada. Na altura manifestou-se sempre contra a extradição.

“Penso que a juíza de instrução não se opõe à sua extradição para França, que nós esperamos que possa ocorrer o mais depressa possível”, disse, citado pela Reuters.

Segundo o advogado, Sven Mary, a audição de Salah foi adiada para 7 de abril, sendo que a audiência sobre o mandado de detenção europeu está prevista para a próxima quinta-feira, 31 de março.