As autoridades de saúde dos EUA disseram na sexta-feira que os homens infetados com o vírus zika ou com sintomas da doença não devem ter sexo desprotegido durante pelo menos seis meses.

Quanto às mulheres infetadas ou com sintomas devem esperar pelo menos oito semanas, após o aparecimento da doença, para tentarem engravidar, acrescentou o centro de controlo e prevenção de doenças dos Estados Unidos da América.

O organismo recomenda os mesmos períodos de tempo de prevenção para os casais sexualmente ativos que não estão a tentar engravidar.

Estas orientações têm por base o período mais longo de resistência do vírus conhecido até agora multiplicado por três.

O zika foi detetado no sémen de um homem 62 dias após os primeiros sintomas, segundo revela o centro de controlo e prevenção de doenças norte-americano.

Os homens com parceiras sexuais grávidas são aconselhados a usar preservativos em caso de sexo vaginal, anal e oral ou a absterem-se de ter sexo durante toda a gravidez.

O vírus zika tem sido relacionado com o nascimento de bebés com microcefalia.

Apesar de o zika ser geralmente transmitido por mosquitos, pode também propagar-se por via sexual.

O centro de controlo e prevenção de doenças dos Estados Unidos da América registou seis casos de transmissão sexual do zika por homens que haviam sido infetados durante viagens a países da América Latina.

O Brasil é o país mais afetado pelo atual surto do vírus, com cerca de 1,5 milhões de infetados.