Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Cadeiras de design, candeeiros de design, aparadores de design e até proprietários de design. É muito design na mesma casa, mas é isso mesmo que define a Behomm, uma plataforma de alojamento que está a transformar a experiência de viajar não só porque promove a troca direta de imóveis (em vez do aluguer), mas também porque se dirige a “apaixonados por estética”.

Mais Eames menos Eames, mais Magis menos Magis, passar os olhos pelo site onde está alojada a comunidade é o mesmo que folhear as compilações com as melhores casas do mundo publicadas pela Taschen. O gosto pela decoração é evidente, e nalguns casos ocupação principal. Criada em março de 2013 por um casal de designers gráficos de Barcelona, a plataforma começou por ser direcionada exclusivamente a criativos na área do design, e só recentemente se abriu a todos os que têm um olho apurado — arquitetos, designers de interiores, fotógrafos, diretores criativos, estilistas ou simplesmente amantes de coisas bonitas em geral.

Eva Calduch e Agustí Juste são um casal de designers gráficos de Barcelona e os autores da ideia. Fundaram a Behomm depois de seis anos a fazerem trocas de casas por esse mundo fora, e o sistema que implementaram na plataforma é o mesmo que usaram nessas viagens: em vez de pagar pela estadia, como num hotel ou num Airbnb tradicional, um hóspede fica na casa de outra pessoa de graça, emprestando a sua casa para o mesmo efeito. A duração do intercâmbio é combinada caso a caso e tanto pode ir de um simples fim de semana a um mês inteiro.

No caso da “comunidade dos amantes de coisas bonitas”, só se entra por convite ou por recomendação, para garantir que toda a operação é segura. Para já a plataforma tem 2.200 membros inscritos, de cerca de 60 países diferentes, e reúne casas de todas as formas e feitios, desde pequenos apartamentos urbanos a villas panorâmicas nas montanhas do Tyrol.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A ideia é que cada casa sirva não só de alojamento mas também de inspiração e até, quem sabe, de rede de contactos, uma vez que os proprietários têm, provavelmente, várias coisas em comum. Por isso mesmo, quando se abre conta no Behomm é possível ativar uma opção chamada “Have a Coffee” (tomar um café), que significa que o membro em questão “está aberto a encontrar-se com outros membros da plataforma na altura da viagem”, explicam os responsáveis.

Para já o alojamento na plataforma é grátis durante o primeiro ano, passando a custar 95€ no segundo ou 170€ para quem pagar logo 24 meses. Se quiser trocar de morada, ainda que provisoriamente, e ficar alojado num destino digno de revista, pode tentar conseguir um convite através de um dos membros da comunidade ou dos próprios fundadores, bastando para isso preencher este formulário. Ah, e claro, ter uma casa linda de morrer.