O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), principal partido aliado da Presidente Dilma Rousseff, decide esta terça-feira se vota contra a destituição da chefe de Estado ou se abandona a coligação governamental.

O encontro encarado como decisivo para o futuro do Governo está agendado para as 15h00 locais (19h00 em Lisboa) na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Segundo a imprensa brasileira, ministros do PMDB no Governo não querem sair, enquanto deputados do partido contrários à Presidente apoiam o processo de destituição de Dilma Rousseff.

A imprensa local avança que 14 dos 27 diretórios estaduais do partido já decidiram pelo rompimento com a Presidente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O PMDB conta com sete ministros no executivo liderado por Dilma Rousseff e 69 deputados.

Para o processo de destituição da Presidente seguir para o Senado, são necessários dois terços de votos favoráveis entre os 513 parlamentares que votam na Câmara dos Deputados.

Entretanto, o vice-Presidente brasileiro e também presidente do PMDB, Michel Temer, cancelou a sua participação no seminário “A Constituição no contexto das crises política e económica”, que decorre entre terça e quinta-feira em Lisboa.

A imprensa brasileira tem dado conta de vários encontros entre elementos do PMDB e do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), da oposição, para discutir um possível governo pós-destituição, em que Michel Temer assumiria a Presidência da República.