O alegado ‘jihadista’ Reda Kriket, principal suspeito na investigação de um projeto de atentado frustrado em França, foi esta quarta-feira formalmente acusado por um juiz antiterrorista, indicaram esta quarta-feira fontes próximas do processo.

O cidadão francês, de 34 anos, foi acusado de associação de malfeitores, por ligação a uma organização terrorista criminosa, precisaram as mesmas fontes, citadas pela agência de notícias francesa AFP.

Já condenado na Bélgica no âmbito de um caso de terrorismo e suspeito de ter estado nas fileiras do grupo extremista Estado Islâmico (EI) na Síria, Reda Kriket, foi detido na passada quinta-feira na região de Paris.

Num apartamento ocupado por Kriket em Argenteuil, na periferia parisiense, a polícia encontrou espingardas de assalto, pistolas e explosivos, incluindo TATP, o explosivo artesanal de eleição dos ‘jihadistas’ do EI.

Kriket foi esta quarta-feira presente ao juiz, após seis dias sob custódia policial, um período de duração excecional que só pode ser decidido pela justiça em caso de risco iminente de atentado ou por imperativos de cooperação internacional.

Quando da detenção de Kriket, o ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, anunciou “o desmantelamento de um projeto de atentado em França que se encontrava em fase avançada”, sem fornecer mais pormenores.

Este caso é distinto da investigação sobre os atentados de Paris e Bruxelas, embora tenham sido estabelecidas algumas ligações entre os protagonistas.

Um outro suspeito, Anis B., que se crê ter sido mandatado pelo EI para cometer um atentado em França com Reda Kriket, foi detido no domingo em Roterdão, na Holanda, e é alvo de um mandado de prisão europeu emitido por juízes franceses.