Alexandre Pinto da Costa, filho do presidente do F. C. Porto, Jorge Pinto da Costa, e detentor da empresa Energy Soccer garantiu não representar nenhum futebolista do plantel da equipa principal do clube nortenho.

Em entrevista ao Jornal de Notícias, Alexandre Pinto da Costa afirmou que o seu papel no F. C. Porto é o de sócio e adepto. “Não faço parte da estrutura do F. C. Porto, nem dos órgãos sociais” explicou o agente ao JN, afirmando ainda que “Sou um ex-dirigente do F. C. Porto, já lá vão 28 anos”.

Quando questionado sobre os seus negócios com o F. C. Porto, o detentor da Energy Soccer afirmou que não representa nenhum jogador do plantel A e que já aconselhou o pai em decisões desportivas: “Aconselho qualquer presidente. Se o presidente do F. C. Porto me solicita um determinado tipo de informação, dou-a.”

Alexandre Pinto da Costa afirmou ainda não ter qualquer influência ou responsabilidade no clube presidido pelo pai.

Relativamente à alegação de ter lucrado 1,94 milhões de euros em negócios com o F. C. Porto, entre 2012 e 2015, o agente afirmou: “Isso é totalmente mentira”. O empresário declarou ter faturado 596 mil euros com o clube durante esses anos, com os jogadores Álvaro Pereira, Rolando e Atsu.

A empresa Energy Soccer emitiu um comunicado onde desmente a acusação.