Não houve luta pelo poder, mas houve agitação. Os três dias de congresso do PSD em Espinho foram animados (aliás: haverá congresso do PSD que não seja animado?).

Pedro Passos Coelho reconheceu, com tripla humildade, que não fez tudo bem e retirou “Marcelo” ao nome do Presidente da República; Pedro Santana Lopes meteu-se com Rui Rio, que ficou em casa para não ofuscar o líder; o crítico José Eduardo Martins pediu uma oposição com “alegria”; Paulo Rangel propôs acabar com os doutores e os engenheiros; e Maria Luís Albuquerque foi promovida e dançou (ou antes: primeiro dançou, na sessão inaugural, e depois foi promovida, no segundo dia).

E, claro, houve uma expressão (de Santana) que ficou para a História: “Keep Cool”. Que é como quem diz: “Vou andar por aí”.

No vídeo em cima pode ficar a saber, em poucos minutos, tudo o que se passou em Espinho (enfim, mais ou menos — já vai perceber do que é que estamos a falar).