A taxa de desemprego na zona euro foi de 10,3% em fevereiro, o valor mais baixo desde agosto de 2011, e que compara com 11,2% no período homólogo e com 10,4% em janeiro, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), no conjunto dos 28 Estados-membros, a taxa de desemprego ficou-se, em fevereiro, nos 8,9%, estável face ao mês anterior e abaixo dos 9,7% registados em fevereiro de 2015.

As menores taxas de desemprego foram registadas na Alemanha (4,3%) e na República Checa (4,5%), enquanto Grécia (24% em dezembro de 2015) e Espanha (20,4%) tiveram as mais elevadas.

Em Portugal, a taxa de desemprego foi, em fevereiro, de 12,3%, abaixo dos 13,5% homólogos mas acima dos 12,1% registados em janeiro.

Em termos homólogos, o desemprego diminuiu em 24 Estados-membros, manteve-se estável na Bélgica e aumentou na Áustria, na Letónia e na Finlândia.

A taxa de desemprego jovem estabeleceu-se nos 21,6% na zona euro e nos 19,4% na UE, face aos 22,7% e aos 20,9% de fevereiro de 2015.

A Alemanha, (6,9%), República Checa (10,2%) e Dinamarca (10,5%) registaram os valores mais baixos, enquanto os mais altos se observaram na Grécia (48,8% em dezembro de 2015), Espanha (45,3%), Croácia (40,3% no quarto trimestre de 2015) e Itália (39,1%).

Em Portugal, o desemprego jovem foi, em fevereiro, de 30,0%, acima dos 29,9% de janeiro mas uma taxa menor do que no período homólogo, quando registou 33,1%.