Espanha

PSOE, Ciudadanos e Podemos reúnem quinta-feira

Ciudadanos querem entrar no governo de Pedro Sánchez, líder do Partido Socialista de Espanha. Próximo objetivo é puxar o Podemos para garantir apoios suficientes para a investidura até 3 de maio.

Albert Rivera (Ciudadanos), Pedro Sánchez (PSOE) e Pablo Iglesias (Podemos)

AFP/Getty Images

PSOE, Ciudadanos e Podemos vão encontrar-se quinta-feira com vista à formação de governo, conta o El País. A informação foi avançada pelos dois primeiros, que garantiram um acordo no início de março, mas que foi insuficiente.

Embora PSOE e Ciudadanos estejam na mesma página, sabe-se agora que Albert Rivera terá feito algumas exigências a Pedro Sánchez. Uma delas é não haver um governo formado apenas por elementos do Partido Socialista de Espanha, conta o El Mundo. “Um governo de uma só cor do PSOE seria demasiado débil”, avisa Juan Carlos Girauta, o porta-voz do Ciudadanos no Congresso. “A ideia é que este governo para que pedimos o apoio do Podemos esteja constituído por membros do PSOE e Ciudadanos.” Girauta não definiu quais são os ministérios que interessam ao partido.

Para além disso, a dupla procura também o apoio do Podemos. Mas, explica o El País, a preferência do Ciudadanos terá sido numa primeira instância o Partido Popular de Mariano Rajoy. O PP recusou conversas, por isso avançou-se para o partido de Pablo Iglesias, que agora se encontra no centro de uma polémica. É que esta terça-feira o ABC publicou um documento que comprova que a fundação (CEPS) ligada aos fundadores do Podemos recebeu mais de sete milhões de euros para criar forças em Espanha que fossem favoráveis ao regime venezuelano. O próprio Hugo Chávez assinou o documento.

O El País sugere que dificilmente haverá acordo, por ser muita a distância que separa os partidos. E avança ainda que Pablo Iglesias estará na mesa de negociações, o que não acontecerá com Pedro Sánchez e Albert Rivera. E o relógio faz tic-tac, pois terá de haver acordo até 3 de maio, altura em que se agendará novas eleições — a repetição do ato eleitoral deverá acontecer dia 26 de junho.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)