A polícia norueguesa prendeu dois homens suspeitos de estarem ligados ao roubo de uma valiosa obra do pintor norueguês Edvard Munch de uma galeria de arte de Oslo, em 2009.

Segundo a polícia norueguesa, citada pelo jornal The Guardian, os homens são suspeitos de negociar bens roubados, mas não de terem sido eles próprios a levarem a cabo o assalto.

Apesar de não terem sido identificados, a imprensa norueguesa diz que estes dois homens têm vastos cadastros e são, por isso, conhecidos há muito das autoridades norueguesas.

A litografia ‘História’, de 1914, foi roubada em 12 de novembro de 2009, com os assaltantes a entrarem na galeria partindo uma das janelas. O quadro, segundo o dono da galeria, estaria avaliado em cerca de 211 mil euros.

O trabalho de Munch tem sido um alvo habitual dos ladrões. O mais famoso assalto de obras de arte de Munch foi em 2004, quando homens armados roubaram O Grito e Madonna do Museu Munch em Oslo, um assalto cometido em plena luz do dia, ao meio-dia de um domingo.

Outra versão de O Grito – Munch pintou vários -, foi levada da Galeria Nacional da Noruega em 1994 por dois ladrões que para trás deixaram um postal onde se lia “obrigado pela segurança medíocre”.