Os líderes políticos que têm defendido a saída do Reino Unido da União Europeia no próximo referendo de 23 de junho podem vir a ocupar lugares de topo no Governo de David Cameron, avança o The Guardian. O presidente da Câmara de Londres, Boris Johnson, e o ministro da Justiça, Michael Gove, são alguns dos nomes que têm liderado os eurocéticos.

Segundo o The Sunday Times, Boris Johnson pode ser convidado a chefiar um dos ministérios que trabalham mais proximamente com o primeiro-ministro, como o Ministério da Saúde ou da Administração Interna. O jornal acrescenta que tem havido “conversas de paz” entre ambos. Já Michael Gove pode ser vice-primeiro-ministro.

De acordo com o The Guardian, David Cameron está empenhado em realizar uma “remodelação da unidade” que tente curar as feridas do partido. Na semana passada, Cameron foi alvo de críticas ter gasto 9 milhões de libras (11,14 milhões de euros) no envio de um folheto que apelava à permanência do Reino Unido na União Europeia para 27 milhões de casas.