O Ministério Público (MP) acusou 27 estrangeiros de 169 crimes de furto em centros comerciais e hipermercados para levar depois o material furtado para o seu país de origem, divulgou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto (PGDP).

Numa nota publicada no seu ‘site’, a PGDP refere que os factos se reportam à atividade que os arguidos – 14 homens e 13 mulheres – desenvolveram “enquanto grupo organizado”, numa prática “sistemática” de furtos em estabelecimentos comerciais entre maio de 2010 e novembro de 2015.

Segundo a nota, os alvos preferenciais dos arguidos eram centros comerciais e hipermercados, um pouco por todo o país.

Furtavam “toda a espécie de produtos”, como roupa, cosméticos, eletrodomésticos e material informático, e a maior parte era ‘exportada’ para a Roménia, “geralmente com uma periodicidade semanal”.

Os arguidos estão acusados de 141 crimes de furto qualificado, dois dos quais na forma tentada, e de 28 crimes de furto simples, um dos quais na forma tentada.

Sete arguidos e quatro arguidas estão em prisão preventiva.