Um ataque suicida à frente de uma esquadra da polícia na região Stavropol, no sul da Rússia, causou a morte a três “kamikazes” que acionaram os respetivos cintos de explosivos, indicou fonte policial. Há porém quem diga que havia um quarto bombista suicida no local, mas tal não foi confirmado ainda por fonte oficial.

“Três pessoas fizeram-se explodir depois de o sentinela ter bloqueado a porta do edifício”, disse Serguei Karamichev, “número dois” do comissariado que se encontrava dentro da esquadra no momento das explosões. “Estávamos numa reunião e, de repente, ouvimos cinco explosões”, acrescentou.

Três das explosões vieram dos três bombistas suicidas e uma proveniente de uma granada, precisou Karamichev, que afirmou desconhecer a origem da quinta explosão.

“Ninguém ficou ferido entre os habitantes e agentes da polícia”, frisou, sublinhando que a identidade dos bombistas suicidas está ainda por conhecer, pois só restam partes dos três corpos.

A imprensa russa, porém, fala da existência de um quarto atacante, que terá sido abatido pela polícia durante o ataque, ocorrido pouco depois das 10h locais (8h em Portugal).

A fachada exterior da esquadra ficou “pintada” com sangue dos três bombistas suicida. A polícia pediu aos cerca de 8.000 habitantes da localidade para se manterem em casa.