Cerca de seis mil crianças continuam desaparecidas depois de terem entrado e sido registadas na Alemanha durante o ano passado, anunciou o Ministério do Interior alemão, citado pelo jornal espanhol El Mundo. De acordo com as autoridades alemãs, que não podem garantir que os menores, filhos de refugiados, ainda se encontram no país, as crianças poderão ter caído nas mãos de organizações criminosas.

No ano passado, chegaram à Alemanha 8.006 crianças, oriundas de países como Afeganistão, Síria, Eritreia, Marrocos e Argélia. Dessas, 5.835 continuam desaparecidas. “É muito triste que haja milhares de menores desaparecidos na Alemanha e que o Governo ainda não tenho dado o alarme”, disse Luise Amtsberg, porta-voz do partido alemão Os Verdes, em resposta aos dados divulgados pelo Ministério do Interior.

A porta-voz dos Verdes apelou ainda ao Governo para que desenvolvesse novos esforços no sentido de encontrar os menores desaparecidos e para impedir que outras crianças sejam levadas por organizações criminosas, que se dedicam ao tráfico de órgãos, droga e à prostituição, uma ameaça para à qual várias organizações não-governamentais têm vindo a alertar.