477kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Praça Hugo Chávez na Amadora gera críticas nas redes sociais

Este artigo tem mais de 5 anos

Nome do antigo presidente venezuelano foi atribuído a praça em Alfragide pela colaboração com a Orquestra Geração. Homenagem está a ser contestada nas redes sociais

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Hugo Chávez, antigo presidente venezuelano — falecido em março de 2013 –, tem uma praça com o seu nome em Alfragide, no concelho da Amadora. A aprovação desta homenagem foi votada favoravelmente por todos os partidos políticos, com a abstenção do CDS, quando se deu a morte do venezuelano e a placa foi descerrada esta terça-feira, dia 12. Apesar de a iniciativa estar a gerar críticas no Facebook devido à natureza do regime venezuelano, o antigo autarca socialista Joaquim Raposo, defende que a homenagem é mais à cooperação com a Venezuela e não tanto à figura em si.

Mas qual é a ligação entre a Venezuela e a Amadora? No início dos anos 2000, a Amadora adotou o projeto Orquestra Geração, inspirada no Sistema de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela. O bairro da Boba foi mesmo um projeto-piloto em Portugal que tentou criar maior sucesso escolar e responsabilidade junto de crianças carenciadas através da música. O projeto cresceu e conta agora com a coordenação da Gulbenkian e com o envolvimento de vários municípios em todo o país. “Temos agora três orquestras e uma delas é a orquestra municipal. Os miúdos estão empenhados na música e através deste programa adquiriram responsabilidade, disciplina e os resultados escolares melhoraram”, afirma ao Observador o antigo autarca do município, Joaquim Raposo, actual presidente da Assembleia Municipal.

O autarca socialista defende mesmo que a Venezuela é um exemplo no combate ao absentismo e sucesso escolar. “Tomara todos os países terem estes resultados, com 800 ou 900 mil crianças a tocar música”, refere. Assim, aquando a morte do antigo presidente Hugo Chávez, a autarquia aprovou um voto de pesar que já previa a atribuição de uma placa toponímica. Este voto foi aprovado por todas as forças políticas e contou apenas com a abstenção do CDS. Agora, passados três anos da morte do antigo presidente e já com uma nova presidente da Câmara, a autarquia descerrou a placa com o nome de Hugo Chávez na presença do embaixador da Venezuela em Portugal, o general en jefe Lucas Rincón Romero. Segundo Raposo, que esteve presente nesta homenagem, todas as forças políticas estiveram representadas.

No entanto, as críticas começaram a surgir nas redes sociais quando a Câmara Municipal da Amadora publicou as fotografias do evento na sua página do Facebook. Muitos comentários questionam o porquê da homenagem. “É preciso ter lata para dar tal nome a uma praça. É um desrespeito pelos venezuelanos e pela maioria dos portugueses que se envergonham de ter uma praça com este nome. Ridículo, insultuoso, assustador!”, pode ler-se num dos comentários. Confrontado com o facto de o regime venezuelano ser considerado internacionalmente como autoritário e com repressão da liberdade de expressão, Joaquim Raposo referiu que esse facto “é outra questão diferente”. “O reconhecimento é para o Sistema de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela e não para Hugo Chávez em si“, declarou.

Fonte social-democrata da Amadora revela que a colocação da placa numa praça em Alfragide visa, de alguma forma, “afrontar” a Junta de Freguesia que é do PSD e afirma que o anterior executivo mantinha uma atitude “absolutamente arrogante” face à oposição minoritária. O PSD, por norma, não vota contra votos de pesar, pelo que acabou, inadvertidamente, por aprovar a criação do nome da praça.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.