Em declarações ao jornal Expresso, Maria Luís Albuquerque mostrou-se cautelosa numa primeira reação aos últimos desenvolvimentos do caso BPI. Admitindo desconhecer as razões que levaram ao falhanço das negociações entre o banco e Isabel dos Santos, anunciado este domingo, a ex-ministra das Finanças limitou-se a reiterar a posição do PSD. “O Governo não deve envolver-se em negociações entre acionistas privados, porque pode ter de vir a intervir mais tarde e a sua posição fica fragilizada“, disse ao semanário.

Questionada sobre a aprovação e promulgação do diploma de desblindagem dos estatutos da banca, a ex-ministra das Finanças preferiu não comentar, uma vez que desconhece o conteúdo da lei. Sobre o facto de o diploma ter estado em discussão pública desde fevereiro, Maria Luís disse que não deu por nada. “Não deve ter sido muito publicitado”, referiu.

Questionada pelo Expresso sobre se pensou avançar com a desblindagem quando era ministra, a deputada e vice-presidente do PSD admitiu que pensou nisso, mas que acabou por “não tomar nenhuma iniciativa nesse sentido”.