Um carro armadilhado explodiu na manhã desta terça-feira no centro de Cabul e matou vinte e oito pessoas, deixando outras 320 feridas. Ao início da tarde, ouviu-se uma segunda explosão na capital afegã, mas não provocou vítimas. O ataque da manhã, que continuou com troca de tiros entre homens armados e as autoridades, foi reivindicado pelos talibãs.

“Condenamos nos mais severos termos o ataque terrorista no bairro de Puli Mahmood Khan, em Cabul, no qual muitos dos nossos concidadãos foram mortos ou ficaram feridos”, afirmou num comunicado o Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani.

O atentado teve lugar no centro de Cabul, não muito longe do Ministério da Defesa e da principal praça da cidade. A troca de tiros iniciou-se logo a seguir à explosão, com os atacantes a atirarem a partir de um edifício junto do local da explosão.

O ataque surge poucos dias depois de os talibãs terem anunciado que iriam lançar a sua “ofensiva de primavera”. O grupo avisou que iria lançar ataques em grande escala a posições estratégicas inimigas. Um hospital em Cabul afirmou que a instituição recebeu 22 feridos, a maior parte deles membros das forças de segurança.