Entre as 100 personalidades distinguidas pela revista Time como as mais influentes do mundo estão oito cientistas e outras oito pessoas com um importante papel em termos ambientais. Se alguns podem ser tão conhecidos como Leonardo di Carpio ou Barack Obama, outros, embora menos mediáticoss, também tiveram um papel de destaque nas suas áreas de intervenção.

Tu Youyou, da Academia Chinesa de Medicina Tradicional, foi distinguida com o prémio Nobel da Medicina 2015. A cientista inspirou-se na medicina tradicional chinesa, mais especificamente na planta Artemisia annua (artemísia), para encontrar um medicamento (artemisinina) contra a malária. A artemisinina é, ainda hoje, a base do tratamento contra esta doença.

A dedicação de Kip Thorne, físico teórico, à física gravitacional e astrofísica foi compensada: em fevereiro deste ano o cientista do Instituto da Tecnologia de Califórnia, e dois colegas, anunciaram ter demonstrado a existência de ondas gravitacionais, confirmando a Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein. Kip Thorne foi ainda o consultor científico do filme Interstellar.

Oiça o som de um buraco negro

Ainda relacionado com o espaço: Alan Stern, engenheiro e cientista planetário responsável pela missão Horizons para Plutão e pela missão Moon Express, e Yuri Milner, empresário e investidor de capital de risco. Qual a relação de Yuri Milner com a ciência? É físico de formação e tem apostado, juntamente com o físico teórico Stephen Hawking, na exploração espacial.

Da exploração espacial para a exploração do corpo humano. A manipulação de embriões humanos é um dos temas mais controversos do momento. Kathy Niakan, bióloga do desenvolvimento no Instituto Francis Crick, foi a primeira a conseguir aprovação, pela Autoridade britânica de Embriologia e Fertilização Humana, para fazer essa manipulação de embriões, desde que não sejam usados em reprodução humana.

As oncologistas Laura Esserman, da Universidade da Califórnia em São Francisco, e Shelley Hwang, da Faculdade de Medicina da Universidade Duke, são pioneiras na abordagem ao tratamento do cancro, numa vertente mais personalizada e menos invasiva. As médicas questionam se as cirurgias e tratamentos de radiação em fases precoces do carcinoma ductal in situ (uma condição pré-cancerosa) são necessárias ou se a medicação poderia ser suficiente para controlar o avanço da doença.

Do presente (e futuro) para o passado temos Lee Berger, paleoantropologista na Universidade de Witwatersrand na África do Sul, que descobriu o Homo naledi e revolucionou a história da evolução humana, e a geoquímica e geobióloga Hope Jahren, da Universidade do Havai, conhecida por usar isótopos estáveis para analisar florestas fósseis.

Os ambientalistas, os políticos e os inovadores

“Nunca conheci ninguém como a Christiana”, disse à Time Robert Redford, ator e ambientalista. “Ela é uma força da natureza – uma lutadora feroz e gentil que diz as coisas como são, mas nunca oscila no seu otimismo implacável.”

Entre aqueles que se destacaram na área do ambiente – ainda que não sejam assumidamente ambientalistas – surge Christiana Figueres, diplomata costa-riquenha e secretária executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas em 2010, Barack Obama, Presidente dos Estados Unidos, e Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá.

Christiana Figueres conseguiu uma boa preparação do que viria a ser alcançado em Paris, na Conferência do Clima 2015. Barack Obama assumiu no segundo mandato uma aposta nas energias renováveis e em conseguir que os Estados Unidos fizessem parte do Acordo de Paris. Justin Trudeau tirou o Canadá de um longo percurso anti-ambientalista e também vai assinar o Acordo de Paris.

Entre os ambientalistas famosos surge o ator Leonardo di Caprio, que tem uma fundação em seu nome dedicada à saúde e bem-estar de todos os habitantes do planeta Terra. A fundação apoia projetos de conservação da natureza, proteção da extinção de espécies sensíveis e recuperação de habitats ameaçados. No discurso do Óscar de Melhor Ator que ganhou este ano, Leonardo di Caprio focou-se nas alterações climáticas.

https://twitter.com/dalisian_monk/status/707775910162857984

Sunita Narain, diretora do Centro para a Ciência e Ambiente da Índia, é, desde há muito, uma das ambientalistas mais proeminentes do país. Além das campanhas contra a poluição atmosférica em Nova Deli, liderou uma campanha contra os elevados níveis de pesticidas na Coca-Cola e Pepsi.

O professor de Engenharia Civil Marc Edwards denunciou a existência de chumbo na água da cidade norte-americana de Flint. A pediatra Mona Hanna-Attisha mostrou a ligação entre os elevados níveis na água e os problemas de saúde nas crianças. Ambos mostraram que as entidades oficiais tinham feito asneira, mas até hoje ainda não houve resolução do problema – a população continua sem poder beber água da torneira.

Outro tipo de denúncia veio da equipa de Dan Carder, do Centro de Combustíveis Alternativos da Universidade da Virgínia Ocidental: a fraude das emissões dos carros a gasóleo da Volkswagen.

Na área da tecnologia destacaram-se: