O presidente norte-americano reiterou hoje o seu apoio aos esforços da Alemanha e da França para solucionar a crise ucraniana e disse que as sanções à Rússia só podem ser levantadas se forem cumpridos os compromissos de Minsk.

Barack Obama falava numa conferência de imprensa em Hanover após uma reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel.

O presidente dos Estados Unidos exortou o novo Governo ucraniano a continuar as reformas necessárias e defendeu a integridade territorial e a soberania da Ucrânia, envolvida num conflito no leste do país com separatistas pró-russos.

Obama disse que as sanções impostas a Moscovo só serão levantadas se a Rússia cumprir “totalmente os acordos de Minsk” para a solução do conflito.

Na mesma linha, Merkel sublinhou a importância de pôr em prática os compromissos alcançados na capital bielorrussa e de continuar as conversações com a Ucrânia e a Rússia.

Na conferência de imprensa, o presidente norte-americano prometeu também apoio militar à Europa de Leste e sublinhou a importância de os países membros da NATO aumentarem os seus orçamentos de defesa face às “pressões” a sul, à postura “agressiva” da Rússia e ao seu “enorme gasto” militar.

Obama referiu a próxima cimeira da NATO, que decorrerá em julho na Polónia e defendeu que se deve “manter uma Aliança forte” para garantir a defesa coletiva.

“Temos a obrigação de defender todos os aliados e é o que faremos”, declarou.