A capital venezuelana amanheceu esta segunda-feira sem pão nas padarias e sem farinha de trigo nos supermercados, disseram à Lusa diversos residentes em Caracas. “Queria comprar pão porque não há farinha de milho para fazer ‘arepas’ para o pequeno-almoço, mas fui a quatro padarias e nenhuma tinha. O que se via em letras bem grandes eram letreiros em que se lia ‘desculpe, não há pão por falta de farinha de trigo'”, disse uma residente à agência Lusa.

Contrariada com a situação, Verónica Flores, 45 anos e de profissão analista de seguros, explicou que o pão poderia ser uma alternativa para a ‘arepa’, uma espécie de massa de milho de forma circular que depois de assada ou frita se recheia com fiambre, queijo, frango, carne, e que é consumida principalmente ao pequeno-almoço.

“Não se consegue ‘harina Pan’ (farinha de milho pré-cozida) nos supermercados. Com tanta escassez tivemos que acudir aos ‘bachaqueros’ (vendedores informais) que nos prometeram conseguir um pacote de 20 quilogramas a um preço que é mais de cinco vezes superior ao afixado e estou a tentar reunir o dinheiro para poder comprar, conjuntamente com outras pessoas”, explicou.

Já no fim de semana tinha sido muito difícil encontrar pão em Caracas, embora nalgumas padarias fosse permitido a cada cliente comprar até dois pães pequenos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo residentes lusodescendentes contactadas pela Lusa, a escassez de produtos básicos como a massa, arroz, farinha, leite, açúcar, café, aveia, manteiga, maionese, óleo, feijão e lentilhas, entre outros, está a obrigar as pessoas a alterarem radicalmente os seus hábitos alimentares diários.

A situação está a preocupar também os comerciantes que, além de não terem matéria-prima para fazer pão e doces, queixam-se de perdas económicas por danos ocasionados pelas falhas elétricas e pelo racionamento de energia elétrica em vigor no país.