O caso do português que terá sido vítima de racismo na Polónia começou a ser contado no Portal de Notícias de Rzeszow e chega agora à imprensa portuguesa. Um rapaz português de 18 anos terá sido apelidado de “lixo” e terá sido agredido com puxões pela roupa e pelo cabelo. O rapaz faz parte de um grupo de 15 estudantes que estão naquela cidade da Polónia no âmbito do programa Erasmus +, da União Europeia.

Segundo a notícia avançada pelo Portal Rzeszow, o jovem foi atacado numa saída à noite com os colegas. Perante o sucedido, o professor responsável pelo grupo reportou o caso à polícia. O suspeito é um militar de 38 anos que tem 11 anos de experiência nas forças armadas e já cumpriu uma missão no Afeganistão, acrescentou o Público.

O porta-voz da polícia referiu que alguns alunos do grupo terão a pele escura e terão sido tomados por migrantes muçulmanos. Terá sido essa a razão do ataque. O caso foi remetido para a polícia militar, visto que o suspeito é militar.

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, reagiu esta terça-feira ao caso e disse que o mesmo “está a ser acompanhado pelas autoridades diplomáticas portuguesas”. O responsável acrescentou ainda: “Não sei se é pior um português ser atacado porque se pensou que era muçulmano, [sei que] não pode ser atacado em nenhuma circunstância”.

O Observador tentou contactar o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, e a embaixada de Portugal na Polónia, mas não obteve qualquer resposta. Segundo o mesmo portal de notícias, este não foi um ataque isolado. O grupo de 15 estudantes terá também ouvido insultos em inglês e polaco enquanto caminhava pela cidade e houve até quem tivesse levantado “o dedo do meio”.