Pelo menos 14 civis morreram hoje à noite no bombardeamento de um hospital de Alepo, no noroeste da Síria, por forças do regime, informou uma organização de defesa civil local designada ‘capacetes brancos’.

“Pelo menos 14 pessoas foram mortas hoje à noite por bombardeamentos contra o hospital Al-Quds e um edifício residencial próximo, no bairro de Al-Sukkari, no leste de Alepo”, uma zona controlada pelos rebeldes, disse a organização à agência noticiosa France Presse.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, uma organização não-governamental com sede em Londres, confirmou o ataque e afirmou que ele foi realizado por “aviões do regime”.

Um médico, que era o único pediatra a exercer na zona leste de Alepo, é uma das vítimas mortais, segundo a agência.

O Observatório acrescentou que um médico e dois seguranças do hospital estão entre os mortos.