A situação “delicada e sensível” que se vive em Timor-Leste, o cansaço e a vontade de transmitir os trabalhos pela televisão provocaram esta quarta-feira o adiamento, pela segunda vez, do debate sobre o futuro da mesa do Parlamento Nacional (PN).

Em causa está o debate de um requerimento apresentado pela maior bancada do parlamento, o Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT) para eleger uma nova mesa do PN, alegando o fim da coligação com o Partido Democrático (PD) e a perda de confiança no presidente, que é do próprio CNRT.

O debate do requerimento foi adiado na terça-feira em solidariedade com o PD, devido à morte de uma dirigente do partido num acidente de viação perto de Díli.

Esta quarta-feira, os deputados estiveram reunidos à porta fechada com o ministro do Interior, Longuinhos Monteiro, para analisar a situação que se vive em Timor-Leste e esse encontro durou mais tempo do que o previsto.

Os deputados acabaram por voltar ao plenário apenas uma hora mais tarde do que o previsto, tendo o Presidente do PN, Vicente da Silva Guterres, defendido o adiamento do debate para segunda-feira.

“Vive-se situação bastante sensível e delicada em torno à nomeação das chefias militares ao mais alto nível, que provocou crises ao mais alto nível, na Presidência da República, Parlamento Nacional e Governo”, disse.

“Eu tenho que confessar que estou muito cansado e, pela importância deste debate, e porque considero que deve ser transmitido em direto pela televisão, solicito às bancadas adiar o debate do requerimento para segunda-feira”, explicou.

Todas as bancadas aceitaram adiar o debate, afirmando estar preparadas para o debate nesta quarta se assim fosse decidido pelo requerente, o CNRT, tendo o líder desta bancada primeiro rejeitado o pedido, mas acabando por aceitar adiar o debate para uma sessão plenária extraordinária na quinta-feira.

“É a primeira vez na história da República Democrática de Timor-Leste e a primeira vez no órgão de soberania que é o Parlamento Nacional que se vai fazer este debate. Dada a importância do assunto, acho que deveríamos fazer o debate com transmissão direta pela televisão para ajudar a que a população possa entender e acompanhar melhor o que está a acontecer”, disse.

“Eu confesso que estou cansado. E por isso defendo que debatamos na segunda-feira”, repetiu por várias vezes Vicente da Silva Guterres, agradecendo à bancada do seu partido aceitar o adiamento.

Vicente da Silva Guterres confirmou que o debate é retomado às 10h de quinta-feira (hora local, 2h em Lisboa) e que será transmitido pela rádio e televisão de Timor-Leste (RTTL).

Na terça-feira, o presidente do Parlamento Nacional insistiu que o regimento do PN não prevê a eleição de uma nova mesa a meio da legislatura mas outras bancadas, incluindo a do CNRT e da Fretilin, sustentam que isso pode ser ultrapassado se houver vontade do plenário, que é “soberano” para tomar a decisão.

A avançar, esta proposta do CNRT implicará uma alteração em toda a mesa do parlamento, que tem atualmente quatro elementos deste partido e dois do PD (entre eles um dos dois vice-presidentes). O cenário mais provável é de que a presidência seja assumida pelo atual vice-presidente, Adérito Hugo da Costa (CNRT).