primavera_norte (1)

Na área do grande Porto, começou na quarta-feira o Festival DDD — Dias da Dança, com uma série de apresentações pensadas nas escolas artísticas. Já nesta quinta-feira, será iniciada uma parceria com o Balleteatro — o DDD OUT, no âmbito do qual serão apresentadas as performances Vaga 2, de Né Barros, na estação de metro da Trindade (17h) do Porto e Público Privado, de Cataria Féliz, no Largo dos Lóios, também no Porto.

O programa do DD OUT inclui ainda performances da britânica Charlotte Spencer, do francês Gilles Verièpe e dos portugueses Ana Rita Teodoro, Miguel Costa e Gabriela Vaz-Pinheiro.

Na sexta-feira, será apresentada às 18h a versão integral de Sudando El Discurso: Una Crítica Encuerpada, uma estreia em solo nacional, na Sala de Ensaios do Teatro Rivoli. O passe conjunto para o festival (com nove bilhetes para os espetáculos em auditório), custa 40 euros. Os bilhetes para os espetáculos internacionais em auditório têm um custo de 10 euros e para os espetáculos nacionais de 7,5 euros. Os restantes custam 5 euros. O Festival DDD irá decorrer até 7 de maio. O programa completo pode ser consultado aqui.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na quinta-feira, às 21h30, o Auditório Municipal de Lousada irá receber a peça Romeu e Julieta, levada à cena pela companhia de teatro grega Idea Theatre Group. Os bilhetes para o espetáculo, realizado no âmbito do FOLIA — Festival Internacional de Artes e Espetáculos, custam três euros. E porque se assinalaram este mês os 400 anos da morte de William Shakespeare, o auditório irá receber no domingo uma outra peça do dramaturgo inglês — Macbeth. O espetáculo, da Companhia Chapitô, está marcado para as 21h30. Os bilhetes custam quatro euros.

Na sexta-feira, irá cantar-se a Revolução (a de 1917, e não a de 1974) na Casa da Música, no Porto. O alinhamento irá incluir peças de Elena Firsova, Edison Denisov e Dmitri Chostakovitch, três dos mais importantes representantes da música soviética do século XX. A primeira parte do concerto será dirigida pelo maestro Pedro Neves e a segunda por Vassily Sinaisky. O evento tem início marcado para as 21h. Os bilhetes custam 15 euros.

Em Braga, o Theatro Circo irá assinalar o Dia Internacional da Dança (29 de abril) na companhia de uma das melhores companhias de dança do mundo — a chinesa Tao Dance Theater que, desde a sua estreia em 2008, já passou por mais de 40 países, sendo uma das companhias mais requisitadas. Foi a primeira companhia de dança chinesa a ser convidada para atuar no Lincoln Center Festival, nos Estados Unidos da América, e na Sydney Opera House, na Austrália.

unnamed

“4 & 5” subirá ao palco do Theatro Circo no Dia Internacional da Dança (29 de abril)

Para a sua estreia em solo nacional, o coreógrafo Tao Ye reservou a apresentação da peça 4 & 5, composta por dois momentos — “4”, em que os corpos parecem atrair-se ao mesmo tempo que são separados por força invisível, e “5”, em que uma outra força oculta mantém os mesmos corpos juntos, numa massa indistinta e caleidoscópica. A peça irá subir ao palco do Theatro Circo no dia 29 de abril, às 21h30. Os bilhetes custam 15 euros.

Já no sábado, o teatro bracarense irá receber o humorista Nilton, que irá subir ao palco sozinho para falar sobre o mundo em geral e sobre os portugueses em particular. O espetáculo irá começar às 17h30, os bilhetes estão à venda por 15 euros.

primavera_centro (1)

Em Coimbra, o Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) vai celebrar o Dia Internacional da Dança na sexta-feira com Sem Chão Sem Fim, de Amélia Bentes. O espetáculo está marcado para as 21h30, os bilhetes custam 7 euros. No dia seguinte, Dia Internacional do Jazz, será a vez de o TAGV receber, às 21h30, Jacqui Naylor, uma das vozes mais importantes do chamado smooth jazz. Os bilhetes estão à venda por 12 euros.

No mesmo dia, será apresentado no Centro Cultural de Ílhavo Antes que matem os Elefantes, a nova peça da coreógrafa Olga Roriz. Com seleção musical de Olga Roriz e João Raposo, o novo bailado tem como temas centrais a guerra, o seu impacto no ser humano, a morte e a sobrevivência. A estreia está marcada para as 22h, os bilhetes custam 5 euros.

Em jeito de sinopse, a coreógrafa escreveu no site oficial da Companhia Olga Roriz: “Perdido o mínimo poder, perdida a dignidade, cansa. Demolida a última réstia de humanidade, cansa. E porquê eu?”

13047796_10153473404895952_1051433204992006496_o

Depois da apresentação em Ílhavo, a peça irá realizar uma pequena digressão por outras cinco cidades portuguesas

No sábado, o Teatro Estúdio CITAC, em Coimbra, servirá de palco aos portugueses First Breath After Coma, uma das bandas confirmadas para a edição deste ano do Festival Santos da Casa. O concerto está marcado para as 22h, a entrada custa 5 euros. Antes disso, às 18h na Casa das Artes da Fundação Bissaya Barreto, estará Suma, o projeto de Débora Umbelino onde o jazz e o post-rock se fundem. A entrada é livre.

primavera_sul (1)

Na quinta-feira, a Outra Face da Lua irá realizar A Maior Venda de Bijuteria Vintage do Universo (ou, pelo menos, é o que a loja lisboeta garante). Na venda de três dias, haverá brincos, cintos, colares, botões de punho, alfinetes de gravata, e muitos outros objetos (mais de três mil!) — tudo a partir de cinco euros. A loja da Rua da Assunção está aberta diariamente entre as dez e as 20h. No mesmo dia, o espaço associativo MOB, nos Anjos, irá abrir as portas a mais uma Feira do Livro Noturna. Com preços entre 1 e 5 euros, vai ser difícil resistir.

Na sexta-feira, o Teatro Camões, no Parque das Nações, irá receber a peça Romeu e Julieta, uma coprodução da Companhia Nacional de Bailado e do Teatro Nacional D. Maria II. Com coreografia de Rui Horta e música de Bruno Pernadas, a peça pretende ser “uma viagem sensorial fora da narrativa” original de William Shakespeare, mas “fiel às duas questões que aborda — a irracionalidade e dependência do ser humano perante o amor (e a paixão) e perante a morte (e a violência), referiu Horta. A peça estará em exibição no Teatro Camões até dia 15 de maio. Os bilhetes custam entre 5 e 30 euros.

No mesmo dia, Samuel Úria irá subir ao palco do Teatro Municipal São Luiz para apresentar o seu novo álbum de originais — Carga de Ombro, sucessor de Grande Medo do Pequeno Mundo, de 2013, que fez o músico percorrer o país. O concerto está marcado para as 21h, os bilhetes custam 13 euros.

Em Campo de Ourique, começa na sexta-feira o Fashionweekend, dedicado inteiramente ao Dia da Mãe (1 de maio), com workshops, aulas, concertos e muita animação de rua para surpreender as melhores mães do mundo. Para além de várias atividades, até domingo os mais de 200 lojistas do bairro lisboeta irão preparar promoções, descontos e ofertas para quem visitar o evento.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Mercado da Vila de Cascais irá realizar um evento dedicado exclusivamente ao vinho, onde será possível conhecer, provar, degustar e comprar. Com o tema “Vinhos de Verão”, a edição deste ano do Mercado de Vinho será dedicada aos brancos, rosés e espumantes. O evento começa na sexta-feira e irá decorrer até domingo, 1 de maio, no Mercado da Vila. A entrada é livre.

Freddy_Kempf_2014

A direção musical do concerto de câmara dedicado a Bach estará a cargo de Freddy Kempf

Reza a lenda que, na noite anterior à estreia de Don Giovanni, Mozart ainda não tinha escrito nem uma linha da “Abertura”da ópera. Foi apenas depois de um serão passado na companhia de amigos (e de bebidas, claro), que o compositor se sentou e escreveu uma das mais geniais páginas da história da música — em apenas três horas. É essa “Abertura”, a K. 527, que estará no centro do recital de música de câmara deste sábado no Teatro Nacional de São Carlos. A direção musical estará a cargo de Freddy Kempf.

Para além da “Abertura” de Don Giovanni, o alinhamento do recital, dedicado inteiramente a Wolfgang Amadeus Mozart, irá incluir o Concerto n.º 22 em Mi bemol Maior para piano e orquestra, K.482, apresentado pela primeira vez em 1785, em Viena, com o próprio compositor ao piano, e a Sinfonia n.º 40 em Sol menor, K. 550, terminada em 1788. O início do concerto está marcado para as 18h, os bilhetes custam 20 euros.

Não muito longe dali, a Galeria Zé dos Bois, no Bairro Alto, vai receber a terceira edição da Feira Morta, um evento itinerante dedicado à edição de autor e às práticas DIY de edição. Para além de zines, revistas, comics, livros, impressões, serigrafias, cassetes, discos e ainda vinis, a Feira Morta abarca uma série de outras atividades, como exposições, workshops, performances e concertos. O evento irá decorrer até dia 1 de maio, a partir das 15h. A entrada é livre.

No sábado, os solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa vão viajar até ao Montijo para tocar Carl Nielsen e Arnold Schönberg, compositores do início da década de 20. O concerto está marcado para as 21h30, na Casa Mora — Museu Municipal. A entrada é livre.