O primeiro-ministro, António Costa, considerou esta sexta-feira que a próxima visita do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a Moçambique evidencia o sinal de prioridade que a diplomacia portuguesa atribui às relações com este país africano.

António Costa falava aos jornalistas a meio da sua visita à Base nº 4 das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, em que esteve acompanhado pelo presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, e pelo chefe de Estado Maior da Força Aérea, o general Manuel Teixeira Rolo, além de vários membros do seu executivo.

Confrontado com a existência de vários episódios que podem colocar em causa a paz naquela antiga colónia portuguesa e com o facto de o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, partir na segunda-feira em visita de Estado a este país africano, o primeiro-ministro “destacou a existência de relações bilaterais de grande proximidade”.

“Moçambique é um país amigo, eu próprio tenho relações familiares em Moçambique. Um sinal da prioridade da nossa política externa dada a Moçambique é precisamente esta visita que o senhor Presidente da República anunciou e vai agora concretizar”, disse.

Perante os jornalistas, António Costa referiu que a visita de Marcelo Rebelo de Sousa retribui ao chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, fez recentemente a Portugal, aquando da investidura de Marcelo nas funções de Presidente da República.

“Aquilo que desejamos é trabalhar cada vez mais próximo com o Governo moçambicano para o desenvolvimento de relações mútuas entre os dois Estados e os nossos povos”, acrescentou o primeiro-ministro.