No Complexo Olímpico de Piscinas do Funchal vão marcar presença 453 nadadores, entre os quais nove campeões paralímpicos, oriundos de 51 países. A prova europeia terá a categoria ‘open’, pelo que contará com nadadores de fora da Europa, que procuram mínimos para o Rio de Janeiro.

Pela Madeira vão passar, entre outros, o bielorrusso Ihar Boki, que conquistou cinco medalhas de ouro em Londres2012, e a espanhola Teresa Perales, detentora de 22 medalhas paralímpicas, conseguidas em quatro edições dos Jogos.

Em competição vão estar também os brasileiros André Brasil, detentor de vários recordes e títulos mundiais paralímpicos, e Daniel Dias, atual campeão paralímpico em seis especialidades.

Portugal vai estar representado por 16 nadadores – 12 masculinos e quatro femininos -, que integram a maior comitiva lusa em europeus de natação adaptada.

Entre os convocados portugueses estão seis que já obtiveram as marcas mínimas para estar presentes nos Jogos Paralímpicos Rio2016: Simone Fragoso, Joana Calado, David Grachat, David Carreira, João Pina e Nelson Lopes.

No entanto, apenas três — dois masculinos e um feminino — marcarão presença nos Jogos Paralímpicos Rio2016, a disputar em setembro, devido à quota disponibilizada pelo IPC para Portugal.

Na natação adaptada, que integra o programa paralímpico desde Roma1960, os atletas são divididos em 14 categorias, conforme os graus de deficiência, antecedida de letra S (swimming).

As categorias entre S1, para atletas com deficiência mais profunda, e S10, a menos severa, destinam-se a nadadores com deficiências físico-motoras.

Nas classes S11, S12 e S13 competem os atletas com deficiência visual e a categoria S14 está reservada a nadadores com deficiência intelectual.

Nos últimos anos os campeonatos europeus têm decorrido de dois em dois anos, alternando com os mundiais, sendo que o anterior decorreu em Eindhoven, na Holanda, em 2014.