O Ministério Público (MP) vai investigar as circunstâncias da morte do rapaz de 19 anos, encontrado pelas autoridades nas águas do Rio Minho na zona de Monção. O alerta foi dados às autoridades ao início da noite de domingo, mas o corpo só foi encontrado e resgatado esta manhã de segunda-feira.

Ao que o Observador apurou junto dos Bombeiros Voluntários de Monção e da Polícia Marítima de Caminha, testemunhas terão visto o jovem Cristiano lançar-se à água na margem espanhola do Rio Minho. Estava a cerca de 1 km “a montante da Ponte Internacional, que liga Monção a Salvaterra do Miño”, disse ao Observador o comandante da Polícia Marítima, Gonzalez dos Paços.

Cristiano deixou os seus bens na margem do rio, entre eles os documentos de identificação, lançou-se à água e não foi mais visto.

O alerta chegou à Comandancia Naval do Miño (Espanha), que contactou a Autoridade Marítima Nacional pelas 19h35 de domingo. Para o local foi deslocada uma equipa de busca e salvamento que contou com bombeiros de duas corporações espanholas, de Porriño e Ponteareas, e uma portuguesa, as dos Bombeiros Voluntários de Monção. Na equipa de salvamento estiveram, ainda, militares da GNR e da Guardia Civil espanhola, da Polícia Marítima de Caminha e da Armada espanhola.

As buscas foram suspensas cerca de uma hora depois e retomadas esta manhã, pelas 6h00. “Às 6h53 foi encontrado o corpo do jovem desaparecido junto ao local onde foram encontrados os bens do mesmo”, referiu ao Observador o comandante da Polícia Marítima de Caminha.

Psicólogos da Câmara dão notícia

O corpo foi retirado das águas do Rio Minho pela margem portuguesa e foi contactado o delegado de saúde, para declarar o óbito. Foi também contactado o Ministério Público que deverá abrir um inquérito para apurar em que circunstâncias ocorreu a morte. O comando da Polícia Marítima não quer adiantar conclusões, mas afasta a hipótese de ter sido o primeiro acidente da época balnear.

A Polícia Marítima desconhece se a família tinha comunicado o desaparecimento de Cristiano na noite de domingo. Mas, esta manhã, foi a própria Autoridade Marítima Nacional que contactou a Câmara Municipal de Monção para pedir uma equipa de psicólogos que fosse dar a notícia da morte à família da vítima.