A Agência Europeia do Medicamento (EMA) aprovou na sexta-feira o medicamento produzido pela farmacêutica Bial contra a doença de Parkinson, o opicapone, divulgou a agência em comunicado. A farmacêutica tinha submetido o medicamento para aprovação no ano passado.

O opicapone é o segundo produto da farmacêutica que é fruto de uma investigação dos laboratórios portugueses. O primeiro foi o Zebinix, destinado a tratar a epilepsia e que já é comercializado um pouco por todo o mundo. Lnçado em 2009, é o único produto português patenteado à venda nas farmácias europeias e norte-americanas, o Zebinix, e foi desenvolvido ao longo de 15 anos de investigação. Foram investidos mais de 300 milhões euros.

Em janeiro, a farmacêutica portuguesa foi notícia depois de uma das pessoas, que participava num ensaio clínico de uma molécula produzida pela Bial, ter morrido durante o teste. A Agência Nacional da Segurança do Medicamento já veio confirmar que a morte estava relacionada com a molécula, mas ainda há dúvidas por esclarecer.

Os investigadores não conseguem explicar, por exemplo, porque é que os sintomas só se registam ao quinto dia de administração de uma dose de 50 mg e não se verificaram nos voluntários que receberam uma dose, duas vezes mais forte, numa administração única.