Donald Trump poderá praticamente garantir nesta terça-feira a nomeação republicana para as eleições de novembro. As sondagens sugerem que o multimilionário poderá obter cerca de 50% dos delegados que irão sair das primárias do Indiana, com o restante a ser dividido entre Ted Cruz (34%) e John Kasich (13%). O próprio Ted Cruz, que ainda mantém alguma esperança de conseguir travar Donald Trump, já se referiu a estas primárias como “aquilo que nos separa de uma queda abaixo de um penhasco“. Do lado democrata, as sondagens apontam para um resultado equilibrado entre Hillary Clinton e Bernie Sanders, que tem muito em jogo.

Para Donald Trump, com uma vitória no Indiana a nomeação está no papo: “Se ganharmos no Indiana, acabou. Eles [Cruz e Kasich] deixam de ter qualquer caminho para a nomeação, ao passo que eu passo a ter um caminho muito fácil“.

Não se trata apenas do otimismo característico de Donald Trump. “Há um coro crescente a nível nacional [entre os republicanos] de que Donald Trump é imparável“, afirmou John Hammond, membro do Comité Nacional Republicano do Indiana, que ainda não anunciou publicamente qual candidato irá apoiar. Citado pelo Bloomberg, Hammond diz que “a demografia no Indiana aponta para uma vitória de Donald Trump”.

A popularidade de Trump não terá sido abalada pela acusação, por Ted Cruz, de que a campanha do multimilionário está a receber o apoio do antigo boxeur Mike Tyson, um “violador condenado” em tribunal. A campanha de Cruz também não terá recebido um grande impulso com a nomeação de Carly Fiorina, ex-presidente da Hewlett-Packard, como possível vice-presidente numa presidência de Cruz.

Trump venceu os seus rivais republicanos nas últimas seis eleições primárias. Já tem 1.002 delegados dos 1.237 necessários para garantir a nomeação republicana. Em jogo no Indiana estão 57 delegados, 30 dos quais vão para o vencedor a nível estadual e, depois, o vencedor de cada um dos nove distritos leva três delegados.

Entre os democratas, Bernie Sanders vai tentar recuperar algum do ímpeto que perdeu recentemente para Hillary Clinton. “Ele gastou milhões de dólares no Indiana. Do ponto de vista demográfico, e o facto de ser uma primária com eleição aberta, é um estado com algumas semelhanças aos estados onde Sanders teve as maiores vitórias”, afirmou Brian Fallon, porta-voz da campanha de Bernie Sanders, citado pela CNN.

Uma sondagem da NBC coloca, contudo, Hillary Clinton com uma vantagem de quatro pontos sobre Sanders.