A Red Bull anunciou hoje que vai substituir o russo Daniil Kvyat pelo belga Max Verstappen, depois de o piloto de Leste ter colidido duas vezes com o alemão Sebastien Vettel (Ferrari) no Grande Prémio da Rússia.

No último domingo, o início da quarta prova do Mundial de Fórmula 1 foi conturbado, com o abandono de Vettel, depois de o Ferrari do alemão ter sido atingido duas vezes pelo Red Bull de Kvyat, numa primeira volta em que foram também eliminados Nico Hülkenberg (Force India) e Verstappen (Toro Rosso, ‘equipa B’ da Red Bull).

“Max [Verstappen] provou ser um talento jovem excecional. O seu desempenho na Toro Rosso tem sido impressionante até agora e agora vamos dar-lhe a oportunidade de pilotar para a Red Bull Racing”, referiu, em comunicado, o diretor desportivo da Red Bull Racing, Christian Horner.

Com a ‘promoção’ de Verstappen, Kvyat ‘desce’ novamente à Toro Rosso, isto depois de ter sido o escolhido para substituir precisamente Vettel, campeão mundial por quatro vezes com as ‘cores’ da Red Bull.

“Estamos numa posição única de ter quatro pilotos na Red Bull Racing [Red Bull e Toro Rosso], por isso temos a flexibilidade necessária de os trocar entre as duas equipas. Dany [Daniil Kvyat] será capaz de prosseguir a sua evolução na Toro Rosso, uma escuderia com a qual está familiarizado e onde pode recuperar a forma e o seu potencial”, frisou ainda Christian Horner.

Em 2015, Verstappen tornou-se, com 17 anos, no mais jovem piloto a estrear-se na Fórmula 1.