A China proibiu a difusão de vídeos de pessoas a comerem bananas de forma erótica nas plataformas de live streaming. A restrição vem na senda de outras regras restritivas na China para o online e é justificada como uma medida para controlar conteúdos impróprios e eróticos nestas plataformas, numa altura em que o negócio está em expansão.

A notícia foi avançada pelo canal estatal chinês, a CCTV (a Televisão Central Chinesa) que enquadra a decisão das autoridades como uma resposta ao aumento das transmissões em live streaming, não regulamentada, e às questões de “ética e de regulação” que levantam, já que quem transmite está “a desafiar os limites do aceitável para aumentar o número de visitas”.

Na mira das autoridades chinesas, de acordo com o canal de televisão, estão plataformas de live streaming como a Panda.tv, a Douyu, a YY, a Zhanqi TV e a Huyque que ainda no mês passado ficaram sob investigação, por ordem do ministro da Cultura, acusadas de transmitirem conteúdos “demasiado vulgares, violentos os sexuais”.

Na sequência disso, as regras apertaram para as transmissões em live streaming — uma área que está em franco crescimento na China — com as empresas obrigadas a apertar o controlo dos conteúdos que albergam, com apresentadoras que são descritas como “mulheres atraentes que exibem os seus decotes”. A esmagadora maioria dos visitantes, 77%, é constituída por homens. As plataformas têm agora de controlar de forma constante e bloquear, “24 horas por dias e sete dias por semana”, conteúdos considerados abusivos onde se inclui a forma como é comida uma banana.