É o mais longo e o mais profundo túnel ferroviário do mundo. São 17 anos de obra para construir 57 quilómetros de comprimento e 2,3 quilómetros de profundidade na montanha. Assim é o túnel ferroviário de São Gotardo, no coração dos Alpes suíços, que ligará Erstfeld, no cantão de Uri, a Bodio, no cantão Tessino, em apenas 20 minutos. O túnel, cuja obra será por si só uma atração turística, será aberto ao público em junho.

O ABC recorda que foi em 1882 que o troço ferroviário de São Gotardo foi inaugurado transformando-se logo numa verdadeira atração. Na altura foi considerado uma “verdadeira obra-prima”, feita ao longo de um percurso que inclui 205 pontes e sete túneis ferroviários a uma altura entre os 470 e os 1100 metros. Mais de um século depois, em 1992, os suíços acabariam por votar em referendo uma nova travessia alpina, cujo trecho central é o túnel de São Gotardo.

A obra, que se prolongou ao longo dos últimos 17 anos, termina agora com o título do maior túnel ferroviário do mundo. Tem 57 quilómetros de distância e atravessa o maciço de São Gotardo. Um túnel que vai permitir atravessar os Alpes suíços, entre Erstfeld e Bodio em 20 minutos — o que até agora, de carro, demorava mais de uma hora. O novo troço permitirá, além de uma maior proximidade entre as diferentes regiões culturais e linguísticas, que viajantes de outros países encurtem o seu período de deslocação entre países como a Itália, a Alemanha e os Países Baixos.

O percurso é desde logo atrativo pela paisagem, pelas histórias e até pelos mitos daquela região. E a própria obra, diz o ABC, é por si só uma “atração turística”. O túnel será inaugurado no início de junho, com uma festa popular que contará com várias iniciativas e bilhetes de comboio gratuitos. Nos dias 4 e 5 de junho circulam os primeiros comboios, numa fase considerada experimental.