Mercúrio, sendo o planeta mais pequeno e mais rápido do Sistema Solar, termina o seu ciclo de traslação em relação ao Sol a cada 88 dias. No entanto, este fenómeno raramente é visível a partir da Terra, devido à inclinação da órbita do planeta, que não é a mesma da órbita da Terra. Assim sendo, só quando o planeta está perfeitamente alinhado com a Terra e com o Sol é que temos o privilégio de o ver.

Animação do Observatório Astronómico de Lisboa que explica o trânsito de Mercúrio

Animação do Observatório Astronómico de Lisboa que explica o trânsito de Mercúrio

A primeira vez que este fenómeno foi detetado foi em 1631, pouco tempo depois de o telescópio ter sido inventado. Quem o descobriu foi o astrónomo Pierre Gassendi. A última vez que aconteceu foi em 2006 e voltará a ser visível em 2019.

Este acontecimento é uma oportunidade única de ver o Sistema Solar em funcionamento. O Observatório Astronómico de Lisboa disponibilizou três telescópios na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e na Tapada da Ajuda, mas as condições meteorológicas não facilitaram a visibilidade. O fenómeno teve duração de sete horas e foi gravado pela NASA para que toda a gente o pudesse ver.

São várias as imagens deste fenómeno astronómico fascinante e reunimos algumas numa fotogaleria.